Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tanucha

um blog para descarregar as tanuchisses, ou melhor parvoeiras que passam por esta mente

Tanucha

um blog para descarregar as tanuchisses, ou melhor parvoeiras que passam por esta mente

Após algumas semanitas fora do mundo cibernaútico, devido a bons motivos é claro. Regresso com imensas novidades.

 

A festa foi espectacular, adorei e os nossos amigos e familiares também (pelo menos é o que eu penso),

mas como não podemos agradar a todos, acredito que haja pessoal que tenha sempre alguma coisa a criticar.

 

Foi super divertido!!

 

A semana anterior foi de volta dos últimos detalhes, marcação dos lugares, ofertas, e ideias de última hora que ficaram espectaculares.

Depois conto tudinho.

 

Vou começar pelo dia da véspera.

De manhã fui fazer a manicure mais a comadre, e tivemos a sessão fotográfica da piolhita a tomar banhoca com os padrinhos. À tardinha tínhamos (nós e as amigas)de enfeitar o salão e pôr as mesas para o pequeno almoço que ia ser servido num salão da junta de freguesia, enfeitámos o carro, enchemos centenas de balões, foi um dia bem passado, á noitinha tive a gravar as músicas escolhidas para os momentos mais importantes. A fazer o saco da piolhita com fraldas, roupinha, brinquedos, comida, etc... Porque iria passar a maior parte do dia com a madrinha. Só me deitei lá para a uma da manhã.

 

Pensava que não iria dormir nada, mas dormi muito bem, acho que o cansaço também ajudou.

 

Acordei ás 6 da manhã, e arranquei a piolha da cama, foi a dormir para o cabeleireiro, mas lá para as 7h30 já estva de olho aberto como sempre. A comadre ligou para o noivo com receio que ele adormecesse, e eram 9 horas já estávamos despachadas.  

 

Nada de stress, estava super calma e muito bem disposta, prontinha para aproveitar o dia em pleno.

Como o noivo ainda estava em casa, fomos para casa do compadre vestir a piolha e estávamos na conversa quando de repente fiquei possuída por um onda de nervos, eram 10 horas e ainda se tinha que ir buscar os frangos, as miniaturas, e o meu ramo.

A sorte foi a madrinha da piolhita que me disse respira fundo que está tudo orientado, e de repente a calma voltou a piarar sobre mim.

Fui-me vestir e fazer a sessão de fotos em casa, já que o noivo tinha ido tirar algumas fotos no bar onde passamos uma grande parte do nosso tempo, e fazer de anfitrião aos convidados no pequeno almoço.

 

Estas são as fotos com a piolhita que eu mais gosto

 

Não é por ser minha filha, mas ela estava toda gira, não estava?

 

Ah e vocês perguntam e o sapatito vermelho que tanta dor de cabeça deu?

 

Cá está ele.

 

 

 

E olha só para a sedução,

 

E o jeitoso também tem fotos muito bonitas, ou melhor ele é bonito.

 

Adoro a última do fundo azul.

 

Consegui surpreendê-lo, ele nunca pensou que o meu vestido fosse branco.

 

Este é o momento da entrada na igreja com o meu pai e a minha sobrinha-afilhada, ao som da Avé maria de Schubert.

 

E visto por trás, reparem  na cauda do vestido.

 

O verdadeiro momento.

 

E o verdadeiro momento da piolhita.

 

Chorou um bocadito, mas o padre também molhou a cabeça da piolha toda.

E ainda por cima estava sempre a dizer que a moça se chamava Carlote. Dah!!!!

A foto da famelga Cardoso depois de casadinha e baptizada.

 

E fomos nós todos contentes num Ford Mustang descapotável até à Quinta das Oliveiras na Azóia.

 

A piolhita foi com a madrinha.

Na quinta  entrámos ao som da música da missão impossível, bebemos um copo de espumante e comemos umas entradinhas e fomos logo cortar o bolo da Sô Dona carlota.

 

Claro que o bolo tinha que ser uma porquita.

 

Fizemos uma largada de balões brancos e fomos tirar fotografias com os convidados, mas em vez de tirarmos fotografias chatas tirámos fotos muito malucas que até os fotógrafos disseram que estávamos possuídos. Estas fotos são exemplos disso.

 

 

 

 

 

A decoração da sala estava espectacular, entrámos ao som da música inicial da Guerra das estrelas, já que somos os dois uns fãs.

 

Tudo em tons de vermelho e branco.

A paparoca estava divinal, apesar de não ter comido muito.

E a malta sempre animada a cantar em alto som.

À tarde fizemos uma sessão de fotos na quinta, para não abandonarmos os nossos convidados.

 

 

 

Estava um tempo espectacular.

 

Ao início da noite fomos cortar o bolo, ao som da música principal do senhor dos anéis, e a música do shire também do mesmo filme(mais um que adoramos) e fogo de  artíficio.

 

Como estava frescote a cauda do vestido serviu de echarpe. Hihihi

 

A abertura do copo de água fez-se ao som da música da série espanhola Verão azul e dartacão.

para recordar a nossa infância.

Já estão a imaginar  a malta toda a assobiar e a cantar não estão?

 

Foi servido um bacalhau com natas e à braz, e uma picanha no prato e depois fez-se a abertura do buffet ao som do rock dos Ac/Dc Higway to

Hell. Uma piadinha do morzão. Mas curtímos todos o som, e quem tocou foi o organista Tiago Borges, adorámos a animação.

 

Abrimos o baile com a música dos Roxette - Listen to your heart quebrado com os Black Eyed Peas com pump it para o pessoal aderir.

 

E a animação foi estrondosa com muita música dos anos 80, até às 3h30 da manhã.

 

Só nos deitámos às 5 da matina, o azar é que a piolhita às 8 já chamava por mim.

Adorei tudo. Foi um dia espectacular. Foi como sempre sonhei, dei por mim a pairar, nem parecia que estava ali e era o meu casamento.

 

Desculpem ser longa a descrição, mas mesmo assim fica muita coisa para contar.

Jinhos gandalhões para quem aguentou ler este post até ao fim.

E para os desistente também seus fracos.

1 comentário

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.