Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tanucha

um blog para descarregar as tanuchisses, ou melhor parvoeiras que passam por esta mente

Tanucha

um blog para descarregar as tanuchisses, ou melhor parvoeiras que passam por esta mente

Acho que precisava de um ligeiro empurrão ou melhor de um grande safanão, para iniciar novamente a minha escrita neste sítio.

A minha vida neste momento não está no ponto que eu gostaria, por isso tenho-me fechado num casulo e não tenho colocado cá para fora o que me vai cá dentro, porque ás vezes é tão mau que nem comigo me apetece falar. Mas acho que neste momento é disso mesmo que necessito de vomitar as minhas angústias, de partir a loiça toda de gritar com todos os meus pulmões (só tenho 2 como todos nós não pensem que sou algo diferente) , vocês sempre me "ouviram" nos melhores momentos e agora acredito que não é por não estar muito animadita que vão clicar na cruzinha no topo direito.  

 

Ponto de situação: 2 filhotes traquinos e lindos que compensam tudo, apesar de ter momentos desesperantes mas faz parte de ser mãe; marido querido a trabalhar num novo projeto, pois estávamos os dois desempregados e a dar em doidos; eu em casa em busca de novos desafios profissionais, descobrindo que vida de gestora do lar não é para mim.

 

Sempre pensei que fosse mais fácil a busca de trabalho mas cheguei à triste conclusão que é super dificil e que não sabia procurar trabalho, pois fui fazer estágio curricular na empresa onde trabalhava e lá fiquei 10 anos, e agora deparo-me com um exército de desempregados em busca do mesmo. 

 

Tenho que arrebitar:-)  pois não quero que o bicho da depressão me venha tocar à porta, que sei que por vezes manda uma mensagem esse sacana, há momentos em que choro por tudo e por nada e só me apetece  deitar-me na cama colocar os lençois por cima da cabeça e aí ficar. Só que tenho um pequenito em casa que me chama e eu lá me recomponho e entro a sorrir no quarto dele para lhe dar um abraço do tamanho do mundo. A traquina mais velha estando na escolinha não se apercebe tanto da tristeza da mamã, pois ela é uma fofa e quando eu lhe peço um beijinho ela duz logo que me ama muito.

 

Mas quem me vê na rua não chega a dar conta, pois ando sempre com um sorriso no rosto tentando aproveitar os únicos momentos em que lido com as pessoas, porque uma pessoa desempregada sentem-se uma inútil..... eu sinto-me 

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.